Celso, adeus!

scpc-celso-cortada-menborFaleceu um dos mais importantes personagens na história da ACIL. Antonio Celso Zanoni, que dedicou 35 anos de sua vida à entidade, ocupou vários cargos, sendo o principal deles o de gerente do serviço de proteção ao crédito, aquele que já foi chamado de Seproc, SPC e SCPC e hoje sabe-se lá que nome tem. Celso, como era chamado, era homem de bons modos, fala sempre equilibrada e um excelente profissional. Metódico, fez o SCPC atravessar os anos e as tecnologias mantendo todo o sistema sob controle, o que não é fácil. Coordenou tudo desde quando o serviço era baseado em fichas datilografadas e dispostas numa enorme mesa no segundo andar do Palácio do Comércio, sobre a qual as atendentes se lançavam depois de anotarem o nome do consumidor consultado, informado pela loja. Uma operação alucinada, especialmente nas vésperas das datas comerciais.
Foi dele que ouvi a notícia, cerca de sete anos atrás, de que a Associação Comercial de São Paulo (entidade que transformou em seu negócio um serviço que pertencia ao associativismo comercial brasileiro) havia comprado um serviço com a incrível capacidade de 2 terabites. Na época, isso era coisa de outro mundo. Hoje, um laptop tem quase isso e qualquer HD externo pode ter seus 5 tb.
O rigor profissional dele permitiu que, em meio a essas muitas mudanças do serviço, o SCPC se mantivesse seguro e confiável. Pude presenciar situações de embate nas quais o rigor do Celso Zanoni salvou a ACIL de enfiar os pés pelas mãos.
Foi dispensado da entidade, a meu ver, de um modo que não fez justiça ao trabalho que desempenhou e à enorme contribuição que deu ao serviço que durante tantos anos foi a base econômica da ACIL.
Celso foi cremado no domingo, 2 de outubro. Faleceu no dia anterior, aos 76 anos.
Só fiquei sabendo hoje, segunda-feira. Portanto, fica aqui minha homenagem a esse excelente homem, profissional e colega de trabalho.

Arte na piazza

Duas das 140 estátuas de pedra que adornam a Piazza de San Pedro, no Vaticano. Representam os santos e santas católicos, todas com 3,2 metros de altura, e estão sobre as grandes colunas construídas para proteger a cidade-estado de agressores. São belas obras de arte, assinadas pelos alunos do mestre do barroco italino Bernini (1598-1680). Roma, 10 de fevereiro de 2015

a_dsc0571

Kireeff demorou, Belinati levou

Passado o auge da fervura do domingo eleitoral, minhas conclusões sobre o que ocorreu em Londrina provavelmente vão desagradar muitos dos amigos aqui do face. Mas vamos as elas, mesmo assim:

1 – O resultado já era previsível.

2 – Motivo: a saída de Kireeff, que a meu ver seria praticamente imbatível na reeleição, deixou o caminho aberto para a vitória de Marcelo Belinati.

3 – A indefinição de Kireeff sobre se iria ou não concorrer e a demora em decidir quem seria o candidato do grupo completou o cenário pró-Belinati.

4 – Fazer um bom sucessor é uma das missões de um bom governo, para que não haja retrocesso.

5 – Quando Wilson Moreira estava para deixar a Prefeitura, o PMDB cometeu um erro ao escolher José Tavares como candidato, numa manobra que tirou Oswaldo Macedo do páreo e facilitou em muito para Antonio Casemiro Belinati vencer, com uma diferença mínima de votos. Tavares tinha rejeição. Macedo, não. São histórias parecidas, não idênticas, obviamente.

6 – A escolha de Orsi, mesmo tendo todas as qualidades e apoio que tem, também esbarrou na rejeição. Kireeff, quando passou para o segundo turno nas eleições passadas, tinha rejeição próxima de zero. Isso faz toda a diferença quando se entra num fogo cerrado de uma campanha que tem do outro lado artilharia do calibre de um Boca Aberta ou um franco atirador como Luciano Odebrechet.

7 – Marcelo Belinati assume em janeiro com a chancela e o ônus que o sobrenome lhe confere e sob a desconfiança de praticamente a metade da cidade. A história vai se repetir? O belinatismo voltou com tudo? Nos resta torcer para que não e não. Vou torcer muito para que o governo seja do prefeito eleito, não do tio que o inspirou e alavancou. E para que a gestão do eleito seja competente e limpa do começo ao fim.

8 – E que a vigilância de Londrina seja permanente.

9 – Amém.