Gilmar Mendes, sendo ele mesmo!

Absurda a capacidade de Gilmar Mendes dizer insanidades, em tom de chacota, quando flagrado em situações inexplicáveis.

Do alto de sua posição como ministro do Supremo Tribunal Federal, protagonizou uma frenética troca de telefonemas pelo whatsapp com Aécio Neves em meio ao processo que o tucano respondia no próprio Supremo.

Foram 46 ligações trocadas pelos dois.

Uma delas foi feita no dia em que Gilmar inocentou Aécio.

Hoje, ao participar de um evento em Porto Alegre, o ministro óleo de peroba definiu a divulgação dos telefonemas uma “fofocagem”.

Não negou, não justificou, não contextualizou. Nada.

Ah, disse também que houve abuso de autoridade, ou “um certo assanhamento” por parte da PF e do juiz, “gente que tem responsabilidade institucional”.

Então, ministro, ficar de tititi com político investigado – aliás, atolado em denúncias – pode né, e nem coloca em dúvida a isenção do Supremo como instituição?

É uma afronta o comportamento do ministro.

E vem no vácuo de outra sandice disparada por ele poucos dias atrás, quando comparou sua rotina de trabalho, “exaustiva”, com as condições de trabalho escravo existentes no Brasil.

Foi uma forma de apoiar o decreto do presidente Michel Temer que dificultou e muito a fiscalização e o combate dos casos de trabalhadores submetidos no Brasil a condições semelhantes à escravidão.

Injustificável. 1094851-df_img_1326-RFF

 

Teatro do Clubinho traz “A volta do Gato de Botas”

Essa é uma receita infalível para um conto de fadas. Junte um Gato de Botas com mais uma ou duas criaturas encantadoramente engraçadas. Tempere tudo com um vilão bobo e atrapalhado, uma boa dose de bom humor, um visual incrível, muita interatividade e misture tudo com muita alegria. O resultado dessa alquimia pode ser visto, durante todo este mês de outubro, no mais novo espetáculo do Teatro do Clubinho, do Londrina Norte Shopping.

Trata-se de “O Retorno do Gato de Botas”. Uma aventura exclusiva que combina aquilo que você já conhece dos contos de fadas com um enredo inédito. O Gato de Botas nesta aventura vai ajudar um gigante – “Ucla, o ogro da floresta” que só assusta quem tenta machucar as plantinhas da floresta – a conhecer a “Rainha Malvinha do Reino das Flores e Passarinhos”.

Eles, apesar da diferença, têm algo em comum. Os dois são apaixonados pelas flores e animais e vivem solitários desejando um amigo. Mas o vilão “Ultruquis” está à espreita. Disfarçado como empregado da Rainha, pretende atrapalhar os planos do Gato de Botas e roubar a coroa da Rainha Malvinha.

Como o Gato de Botas conseguirá resolver esta situação? A Rainha e o Ogro finalmente se unirão contra o malvado Ultriquis e seu terrível plano de roubar o trono para cortar todas as flores e prender em gaiolas todos os passarinhos do reino?

O final desta aventura você só vê no Teatro do Clubinho do Londrina Norte Shopping, neste mês de outubro, aos sábados e domingos com sessões às 16h e 18h, por apenas R$10,00.

Um programa para toda a família. O estacionamento no Londrina Norte Shopping é gratuito.

Ficha Técnica:

  • Costureira: Aparecida de Paula Carmo

  • Figurinos: Alex Lima

  • Direção: Coletiva

  • Dramaturgia: Olifa Ollon

  • Elenco: Carol Alves, Olifa Ollon e Rafael Avansini (Cia Curumin Açu)

  • Produção: André Guedes e Katja Vignard (Atmosfera Eventos)

Quarta saudável, na Vila Verde

Hoje é quarta-feira e é dia de feira. Na verdade, dia da Vila Verde, do Catuaí Shopping Londrina, um evento gastronômico concebido para reunir, num espaço descolado, produtos naturais oferecidos por produtores locais e da região.

A feira é realizada toda quarta-feira, das 17h às 22h, até o final de novembro, na área externa em frente à entrada principal do shopping.

Tem música ao vivo, brinquedos para as crianças, mesas construídas com madeira de reflorestamento, além de várias barracas de hortifrutis, alimentos prontos, molhos e até cerveja artesanal.

O Catuaí se baseou no conceito de sustentabilidade e vida saudável e na valorização dos produtores regionais.

O resultado é um ambiente único, cercado de sabores especiais e saudáveis.

 

Últimos dias para ver “Os três porquinhos” no Londrina Norte

Quem ainda não foi tem só este sábado e domingo para assistir a peça “Os três porquinhos”, no palco do Teatro do Clubinho, do Londrina Norte Shopping. Serão duas sessões no sábado e duas no domingo, sempre às 16h e às 18h. Os ingressos custam apenas R$ 10,00.

A montagem é uma divertidíssima releitura do clássico das histórias infantis. O vilão, o terrível lobo mau, é na verdade um dançarino frustrado que busca vingar seu passado devorando os três irmãos porquinhos.

Esse é o quarto espetáculo apresentado pelo Teatro do Clubinho e já foi assistido por mais de 1.700 pessoas.

 

O texto é uma criação da trupe formada por Carol Alves, Olifa Ollon, Rafael Avansini e Pedro José (que integram a Companhia Curumim Açú). Na montagem, a história ganha ritmo, humor e também contornos contemporâneos e brasileiros,  garantindo ótimos momentos para o público.

O espetáculo para a temporada de outubro do Teatro o Clubinho do Londrina Norte Shopping já está definido, será “A volta do gato de botas”. A primeira apresentação da nova peça será no dia 7 de outubro, sábado da semana que vem.

Os ingressos podem ser comprados antecipadamente no site http://www.sympla.com.br/teatrodoclubinho ou na bilheteria do teatro a partir das 13h aos sábados e domingos.

Ficha Técnica:

  • Costureira: Aparecida de Paula Carmo

  • Cenário: Daniele Stegman (pintura), Adilson Hilário (Interage Eventos) e Atmosfera Eventos

  • Figurinos: Alex Lima

  • Dramaturgia e Direção: Criação Coletiva

  • Elenco: Carol Alves, Olifa Ollon, Pedro José e Rafael Avansini

  • Produção: Katja Vignard (Atmosfera Eventos) e André Guedes

Somos todos assim?

A imagem é forte, agressiva e revoltante.

Nela não há movimento, técnica ou qualquer recurso de iluminação.

Pelo contrário, é crua.

Assim é a foto que a Polícia Federal produziu e distribuiu hoje, primeira terça-feira de setembro, num apartamento desocupado em Salvador.

No que deve ser uma pequena sala do imóvel aparecem oito malas e cinco caixas de papelão cheias de dinheiro.

O dinheiro, segundo a PF, pertenceria Geddel Vieira Lima, ex-ministro de Michel Temer que chegou a ser preso no início de julho acusado de intermediar a facilitação de empréstimos na Caixa quando era diretor da instituição.

O apartamento seria uma espécie de depósito de dinheiro ilícito de Geddel, que segue em prisão domiciliar em sua casa, também em Salvador. Ele é investigado na operação Cui Bono, originada em provas obtidas pela operação Lava Jato.

A cena do dinheiro amontoado na sala em Salvador é um retrato do escárnio da classe política com todos os brasileiros. Um tapa na cara, daqueles que ardem e humilham mais do que um soco no estômago.

Se a informação da PF estiver correta, aquele monte de reais tem como origem os cofres públicos e as propinas pagas a agentes públicos como Geddel, que por sua vez são alimentadas com dinheiro dos brasileiros pagadores de impostos.

Espero – e muito – que não cheguemos à triste condição de um país que não se escandaliza diante de uma imagem tão forte.

Não podemos perder a capacidade de nos indignar e nos envergonhar.

Do contrário, seremos todos verdadeiros sem-vergonhas.

Será que a foto é, na verdade, o retrato do Brasil? Ou dos brasileiros?

Aquele dinheiro saiu dos hospitais, dos remédios, da infraestrutura, da educação, de projetos sociais. Trata-se de um crime cruel cometido deliberada e descaradamente, de forma premeditada, por pessoas que sabem que seus atos podem custar a vida de outros cidadãos.

Fria como uma lápide, a imagem das malas e das caixas de dinheiro no pequeno cômodo no apartamento em Salvador já entrou para a história.

Uma história, aliás, absolutamente triste.

cats

Último trecho da Waldemar Spranger está quase pronto

Os grandes muros que interrompiam o trajeto do novo trecho da avenida Waldemar Spranger, já quase na nova rotatória que está sendo construída em frente à Cativa, foram derrubados. E, trabalhando rápido, máquinas  e operários da construtora já cortaram e pavimentaram boa parte das duas pistas dos cem metros que restavam para fazer a ligação da avenida.

Quem imaginou que a disputa na Justiça com os donos das chácaras iria se arrastar, como aconteceu com a avenida Ayrton Senna, felizmente se enganou.

As obras no conjunto formado pelas pistas da avenida e pela rotatória continuam. As calçadas estão sendo construídas, assim como boa parte da grama já foi plantada.

Iniciadas na gestão passada, essas obras fazem parte do chamado Arco Leste, que pretende ligar a PR-445 à BR-369 e a Ibiporã, passado por trás do Aeroporto. Um outro trecho de avenida do Arco Leste já foi aberto próximo ao Parque Arthur Thomas, cerca de um quilômetro distante da rotatória.

Independente desse novo eixo urbano, obra que ainda deve levar alguns bons anos, as melhorias que estão sendo concluídas nas proximidades da Cativa devem resolver um dos mais complicados gargalos no trânsito de Londrina, a vizinha rotatória da barragem do Lago Igapó.

Os congestionamentos no local são intensos. Em especial para quem, no início e no final do dia, segue em direção à Harry Prochet, subindo pela Almeida Garret. Essa rua, com sua pista simples, vira um funil nos horários de pico.

Com a abertura da Waldemar Spranger até a rua Bélgica, em frente à Cativa, esse tráfego deverá ser ser dividido. É provável que a Almeida Garret passe a ter sentido único, o que empurraria ainda mais o fluxo para o novo trecho.

Resta agora saber como vai funcionar a grande rotatória da Cativa, já que seu traçado aparente suscita dúvidas.