Últimos dias para ver “Os três porquinhos” no Londrina Norte

Quem ainda não foi tem só este sábado e domingo para assistir a peça “Os três porquinhos”, no palco do Teatro do Clubinho, do Londrina Norte Shopping. Serão duas sessões no sábado e duas no domingo, sempre às 16h e às 18h. Os ingressos custam apenas R$ 10,00.

A montagem é uma divertidíssima releitura do clássico das histórias infantis. O vilão, o terrível lobo mau, é na verdade um dançarino frustrado que busca vingar seu passado devorando os três irmãos porquinhos.

Esse é o quarto espetáculo apresentado pelo Teatro do Clubinho e já foi assistido por mais de 1.700 pessoas.

 

O texto é uma criação da trupe formada por Carol Alves, Olifa Ollon, Rafael Avansini e Pedro José (que integram a Companhia Curumim Açú). Na montagem, a história ganha ritmo, humor e também contornos contemporâneos e brasileiros,  garantindo ótimos momentos para o público.

O espetáculo para a temporada de outubro do Teatro o Clubinho do Londrina Norte Shopping já está definido, será “A volta do gato de botas”. A primeira apresentação da nova peça será no dia 7 de outubro, sábado da semana que vem.

Os ingressos podem ser comprados antecipadamente no site http://www.sympla.com.br/teatrodoclubinho ou na bilheteria do teatro a partir das 13h aos sábados e domingos.

Ficha Técnica:

  • Costureira: Aparecida de Paula Carmo

  • Cenário: Daniele Stegman (pintura), Adilson Hilário (Interage Eventos) e Atmosfera Eventos

  • Figurinos: Alex Lima

  • Dramaturgia e Direção: Criação Coletiva

  • Elenco: Carol Alves, Olifa Ollon, Pedro José e Rafael Avansini

  • Produção: Katja Vignard (Atmosfera Eventos) e André Guedes

Catuaí Trends 2017, imagens

Um passeio fotográfico pela edição deste ano do Catuaí Trends, que teve dois dias de desfiles, oficinas e trend talks. O evento foi um grande sucesso de público e de crítica.

Teve de tudo um tanto em termos de moda. A top model Fernanda Motta participou tanto do trend talk com blogueiros locais quanto do desfile do primeiro dia do evento. Na passarela, Fernanda mostrou com todos os movimentos e passos por que é uma top.

As lojas participantes do Trends levaram para a passarela as tendências da próxima estação. Também desfilaram as roupas criadas pelas alunas de moda da UEL e Unopar, inscritas no concurso cultural do evento.

O encerramento ficou a cargo de Arnaldo Antunes, que fez um show intimista com sucessos das fases de sua carreira.

Confira imagens do evento:

Somos todos assim?

A imagem é forte, agressiva e revoltante.

Nela não há movimento, técnica ou qualquer recurso de iluminação.

Pelo contrário, é crua.

Assim é a foto que a Polícia Federal produziu e distribuiu hoje, primeira terça-feira de setembro, num apartamento desocupado em Salvador.

No que deve ser uma pequena sala do imóvel aparecem oito malas e cinco caixas de papelão cheias de dinheiro.

O dinheiro, segundo a PF, pertenceria Geddel Vieira Lima, ex-ministro de Michel Temer que chegou a ser preso no início de julho acusado de intermediar a facilitação de empréstimos na Caixa quando era diretor da instituição.

O apartamento seria uma espécie de depósito de dinheiro ilícito de Geddel, que segue em prisão domiciliar em sua casa, também em Salvador. Ele é investigado na operação Cui Bono, originada em provas obtidas pela operação Lava Jato.

A cena do dinheiro amontoado na sala em Salvador é um retrato do escárnio da classe política com todos os brasileiros. Um tapa na cara, daqueles que ardem e humilham mais do que um soco no estômago.

Se a informação da PF estiver correta, aquele monte de reais tem como origem os cofres públicos e as propinas pagas a agentes públicos como Geddel, que por sua vez são alimentadas com dinheiro dos brasileiros pagadores de impostos.

Espero – e muito – que não cheguemos à triste condição de um país que não se escandaliza diante de uma imagem tão forte.

Não podemos perder a capacidade de nos indignar e nos envergonhar.

Do contrário, seremos todos verdadeiros sem-vergonhas.

Será que a foto é, na verdade, o retrato do Brasil? Ou dos brasileiros?

Aquele dinheiro saiu dos hospitais, dos remédios, da infraestrutura, da educação, de projetos sociais. Trata-se de um crime cruel cometido deliberada e descaradamente, de forma premeditada, por pessoas que sabem que seus atos podem custar a vida de outros cidadãos.

Fria como uma lápide, a imagem das malas e das caixas de dinheiro no pequeno cômodo no apartamento em Salvador já entrou para a história.

Uma história, aliás, absolutamente triste.

cats

Último trecho da Waldemar Spranger está quase pronto

Os grandes muros que interrompiam o trajeto do novo trecho da avenida Waldemar Spranger, já quase na nova rotatória que está sendo construída em frente à Cativa, foram derrubados. E, trabalhando rápido, máquinas  e operários da construtora já cortaram e pavimentaram boa parte das duas pistas dos cem metros que restavam para fazer a ligação da avenida.

Quem imaginou que a disputa na Justiça com os donos das chácaras iria se arrastar, como aconteceu com a avenida Ayrton Senna, felizmente se enganou.

As obras no conjunto formado pelas pistas da avenida e pela rotatória continuam. As calçadas estão sendo construídas, assim como boa parte da grama já foi plantada.

Iniciadas na gestão passada, essas obras fazem parte do chamado Arco Leste, que pretende ligar a PR-445 à BR-369 e a Ibiporã, passado por trás do Aeroporto. Um outro trecho de avenida do Arco Leste já foi aberto próximo ao Parque Arthur Thomas, cerca de um quilômetro distante da rotatória.

Independente desse novo eixo urbano, obra que ainda deve levar alguns bons anos, as melhorias que estão sendo concluídas nas proximidades da Cativa devem resolver um dos mais complicados gargalos no trânsito de Londrina, a vizinha rotatória da barragem do Lago Igapó.

Os congestionamentos no local são intensos. Em especial para quem, no início e no final do dia, segue em direção à Harry Prochet, subindo pela Almeida Garret. Essa rua, com sua pista simples, vira um funil nos horários de pico.

Com a abertura da Waldemar Spranger até a rua Bélgica, em frente à Cativa, esse tráfego deverá ser ser dividido. É provável que a Almeida Garret passe a ter sentido único, o que empurraria ainda mais o fluxo para o novo trecho.

Resta agora saber como vai funcionar a grande rotatória da Cativa, já que seu traçado aparente suscita dúvidas.

“Os três porquinhos” tem adaptação divertida e cheia de ritmos

Foi concorrida e muito divertida a estreia de “Os três porquinhos” neste sábado à tarde, no Teatro do Clubinho, do Londrina Norte Shopping.

A adaptação do conto clássico feita pelos artistas da trupe do Clubinho mesclou com muita criatividade o conteúdo do clássico às referências contemporâneas e brasileiras e o resultou foi um espetáculo com muito ritmo, humor e música.

Diversão garantida para as crianças e também para os adultos com assistem à peça.

Essa é a quarta montagem do Teatro do Clubinho, que tem duas sessões no sábado e outras duas no domingo, sempre às 16h e 18h, durante todo o mês.

Os ingressos custam apenas R$ 10,00 e podem ser comprados antecipadamente no site http://www.sympla.com.br/teatrodoclubinho ou na bilheteria do teatro a partir das 13h aos sábados e domingos.

Ficha Técnica:

  • Costureira: Aparecida de Paula Carmo

  • Cenário: Daniele Stegman (pintura), Adilson Hilário (Interage Eventos) e Atmosfera Eventos

  • Figurinos: Alex Lima

  • Dramaturgia e Direção: Criação Coletiva

  • Elenco: Carol Alves, Olifa Ollon, Pedro José e Rafael Avansini

  • Produção: Katja Vignard (Atmosfera Eventos) e André Guedes

“Os três Porquinhos” chegam ao Londrina Norte

Setembro chegou e com ele a mais nova montagem do Teatro do Clubinho, do Londrina Norte Shopping: “Os três porquinhos”.

A peça, quarta no calendário do teatro, é uma adaptação feita pelos artistas da trupe do Clubinho do clássico de origem britânica. Conta a história de três irmãos – Prática, Heitor e Cícero – e um lobo mau que faz de tudo para devorá-los.

Serão duas sessões no sábado e outras duas no domingo, sempre às 16h e 18h, durante todo o mês.

centro da história está a postura de cada um dos irmãos sobre como construir suas casas. Cícero, preguiçoso, faz uma casinha e palha. Heitor que, despreocupado com a resistência de sua casa de madeira, deixa de lado os pregos de aço e usa apenas cordas para amarrá-la.

Já Prática, a irmã que sabe planejar e fazer cálculos, pensa numa estrutura resistente e usa cimento, tijolos e vidros. Ela sabia que o lobo iria soprar com força a sua casa e não queria que ela fosse destruída pelo maldoso animal, muito menos que os irmãos fossem devorados.

O que acontece com cada casinha já é conhecido do imaginário infantil e da memória dos adultos.

Mas, na montagem feita pela trupe formada por Carol Alves, Olifa Ollon, Rafael Avansini e Pedro José (que integram a Companhia Curumim Açú), a história ganha ritmo, humor e também contornos contemporâneos e brasileiros, o que garante ótimos momentos para o público.

Enfim, mais uma história imperdível do Teatro do Clubinho.

Os ingressos custam apenas R$ 10,00 e podem ser comprados antecipadamente no site http://www.sympla.com.br/teatrodoclubinho ou na bilheteria do teatro a partir das 13h aos sábados e domingos.

“Os três porquinhos” foi divulgado pela primeira vez em 1853 pelo folclorista australiano Joseph Jacobs, que viveu na Inglaterra, onde o conto já era conhecido. Ele transformou em livros histórias e fábulas inglesas, celtas, indianas e também do escritor grego Esopo.

Ficha Técnica:

  • Costureira: Aparecida de Paula Carmo

  • Cenário: Daniele Stegman (pintura), Adilson Hilário (Interage Eventos) e Atmosfera Eventos

  • Figurinos: Alex Lima

  • Dramaturgia e Direção : Criação Coletiva

  • Elenco: Carol Alves, Olifa Ollon, Pedro José e Rafael Avansini

  • Produção: Katja Vignard (Atmosfera Eventos) e André Guedes