Tem “João e Maria” esse fim de semana no Teatro do Clubinho

Este final de semana é a última oportunidade para assistir “João e Maria” no Teatro do Clubinho, do Londrina Norte Shopping.

A peça, baseada no clássico conto infantil dos irmãos Grimm, foi montada por artistas locais que fazem parte da trupe do Teatro do Clubinho e está em cartaz desde o início do mês.

As apresentações são feitas aos sábados e domingos, com sessões às 16h e às 18h.

Os ingressos custam apenas R$ 10,00.

E o próximo espetáculo já está definido, montado e ensaiado: é “João e o pé de feijão”, que terá personagens que prometem eletrizar as crianças.

 

Ficha Técnica

• Elenco: Carol Alves, Olifa Ollon e Rafael Avansini

• Dramaturgia: Carol Alves

• Direção: Coletiva

• Figurino: Alex Lima

• Costureira: Aparecida de Paula Carmo

• Maqueteria/Cenografia “Cabana de Chocolate” por Arquiteto Christan Steagall-Condé e  “Gaiola de doces” por Adilson Hilário (Interage Eventos)

Que crise?

“Crise econômica no Brasil não existe” – Michel Temer, Alemanha, 07/07/2017.

!?

A recessão pode ter recuado, mas a crise é grave, conforme atestam os mais de 13 milhões de desempregados.

Com esse discurso, Temer repete Dilma no início do calvário de seu governo, naquela fase aguda da negação de tudo, mesmo do inegável.

Temer agoniza, agarrado ao cargo como a  hiena alucinada se atraca à carcaça que acaba de encontrar.

Ele merece.

Nós é que não!

 

- a temer novo
Arte sobre foto de divulgação – Beto Barata/PR

Privatizar as loterias, um negócio bilionário e um risco iminente

nova _RFF1552

Tenho séria desconfiança das iniciativas de Michel Temer, principalmente na condução da economia. Que ajustes devem ser feitos, isso ninguém questiona. Mas quais são os realmente necessários e como fazê-los são os pontos que precisam ser questionados.

Para mim, fica uma grande interrogação se os ajustes como estão sendo feitos agora têm a missão de corrigir os rumos ou escondem interesses e negociatas.

Temer, na verdade, não inspira confiança alguma. Por isso a vigilância deve ser redobrada.

Reformas da previdência e das leis trabalhistas são dois bons exemplos.

Mas uma outra medida, a privatização das loterias, levanta dúvidas. A ideia foi lançada no ano passado e está pronta para seguir para o Congresso.

Trata-se de um enorme negócio. A arrecadação das loterias da Caixa passou de R$ 12 bilhões em 2016, com um recuo em relação a 2015, quando movimentou cerca de R$ 14 bilhões.

O principal argumento é o de que, com a privatização, a arrecadação de tributos pelo sistema poderia dobrar, dos atuais R$ 6 bilhões anuais para R$ 12 bilhões.

Um argumento no mínimo duvidoso, já que a elevação dos impostos arrecadados viria com um novo modelo que permite as apostas online, proibidas atualmente no país.

Ou seja, mesmo sem privatizar, só com a liberação das apostas online seria possível mais do que dobrar a arrecadação pelo sistema.

Há grandes interessados em abocanhar essa mina de dinheiro brasileira, fechada até agora nas mãos da Caixa. Grupos que iriam se aproveitar de um terreno tão fértil quanto o governo Temer.

O dinheiro arrecadado pelas loterias no Brasil é dividido da seguinte forma:

  • 40% para o prêmio
  • 40% para beneficiários legais – Fundo Nacional da Cultura, Comitê Olímpico e Paralímpico, Seguridade Social, Fies e Fundo Penitenciário Nacional
  • 20% para a Caixa Econômica Federal.

Pelo que já sinalizou, o governo deve mudar essa proporção. Os estudos do modelo de outros países apresentados como justificativa para a privatização indicam que do total arrecadado, 65% são destinados ao prêmio e o restante para os beneficiários legais e ao explorador do serviço.

Em outras palavras, a parcela destinada aos projetos sociais sofrerá um corte significativo. O mesmo deve ocorrer com o rendimento da Caixa como operadora do sistema.

Enfim, tudo indica que será um negócio desvantajoso para governo e uma excelente jogada para algum grande grupo.

Privatização sempre foi um prato cheio para tubarões e para piranhas. Vai sobrar para as sardinhas, como sempre.

Uma vez privatizado, não há quem desfaça depois. Alguém se lembra como foi feito com as estradas do Paraná?

 

Teatro infantil, uma excelente opção nas férias escolares

Se você tem filho, neto, enteado, sobrinho, afilhado, vizinho ou amigo que seja criança, não perca a oportunidade de conferir a divertida e construtiva história de “João e Maria”, peça que entrou em cartaz hoje no Teatro do Clubinho do Londrina Norte Shopping.

Adaptado do clássico das histórias infantis por artistas locais, o espetáculo é um passeio marcado pela aventura e pelas travessuras de dois irmãos que acabam se perdendo na floresta e indo parar nas mãos de uma bruxa.

É uma excelente opção de lazer cultural para as crianças neste mês de julho, quando as escolas estão de férias.

São duas apresentações aos sábados e outras duas aos domingos, sempre às 16h e às 18h.

Os ingressos custam apenas R$ 10,00.

O Teatro do Clubinho é uma iniciativa inédita do Londrina Norte Shopping, que tem parceria da Atmosfera Eventos. O espaço foi criado especialmente para receber espetáculos infantis. Tem decoração e mobiliário criados para os pequenos, assim como dois nichos internos com mesinhas e pufes para que as crianças possam fazer atividades lúdicas, acompanhadas pelos pais ou por instrutores.

A proposta do Londrina Norte Shopping é oferecer espetáculos de qualidade, com releituras de grandes clássicos e, dessa forma, promover a educação para o teatro, valorizando o trabalho de artistas locais como atores, roteiristas e figurinistas.

Na primeira temporada do Teatro do Clubinho, em junho, mais de 2 mil pessoas viram a peça “Chapeuzinho Vermelho”.

Ficha Técnica

• Elenco: Carol Alves, Olifa Ollon e Rafael Avansini

• Dramaturgia: Carol Alves

• Direção: Coletiva

• Figurino: Alex Lima

• Costureira: Aparecida de Paula Carmo

• Maqueteria/Cenografia “Cabana de Chocolate” por Arquiteto Christan Steagall-Condé e  “Gaiola de doces” por Adilson Hilário (Interage Eventos)